O cliente pergunta. Dá para aproveitar? Muitas vezes ele pergunta, preocupado em economizar, mas querendo algo novo com a sua cara. Funcional para sua necessidade. Isso as vezes acontece.

A resposta é sim. Sim, nem sempre é preciso desconstruir tudo para construir o novo.

Pensando na sustentabilidade e mesmo em uma economia de custos é possível fazer intervenções no que existe. Modificar, repaginar, customizar.

É possível repaginar móveis existentes.

Estofados podem ser forrados e até mesmo sofrer alguma modificação do seu modelo.

As vezes pequenas intervenções podem fazer grandes diferenças visuais e funcionais.

É importante avaliar custo benefício. Desejos do cliente.

Avaliar o perfil do cliente é muito importante para saber se ele é aberto para esse tipo de intervenções. Não é para todo público que se pode propor tal intervenção. E nem é todo cliente que quer reaproveitar alguma coisa.

E devemos ter sempre em mente, um projeto é para quem vai usar, usufruir. O papel do arquiteto é apenas um intermediador de soluções.

Para uma intervenção em que alguns elementos podem ser utilizados, repaginados, é preciso ter critério nas etapas.

No caso por exemplo de não trocar os revestimentos cerâmicos por exemplo, antes de se fazer a proposta para que se mantenha o existente, deve-se verificar se estão em bom estado, se estão consolidados. Alguns azulejos muitos antigos ou estão hiper consolidados ou praticamente soltos.

Vou aproveitar e contar uma experiência. Uma vez em uma reforma eu propus manter um azulejo antigo, 15×15 que tinha uma estampa bem bonita e mesmo sendo antigo, a estampa era atual. Aparentemente parecia bem consolidado. Tinha uns armários presos de parede. A proprietária concordou, fiou super feliz. Trocaria somente o mobiliário e faríamos somente uma linha com tomadas para ficar coerente com a vida atual. Fiz projeto, chamei a equipe e mão a obra.

Foi retirado os armários, não era funcional para a proprietária. Quando a equipe do eletricista entrou para cortar a parede para colocar as novas caixas de elétricas, no primeiro momento que ele começou a furar para cortar, a parede explodiu literalmente caindo todo o azulejo de uma só vez. Foi desesperador! Aquela parede inteirinha explodindo, indo abaixo todo aquele azulejo. A minha sorte e da proprietária, era que tinha outra moradora no mesmo prédio que estava fazendo outra reforma e estava trocando todo o revestimento e por sorte os azulejos saíram todos inteiros, eu comprei e reutilizei.

Como eu já falei em algum outro post, reforma sempre pode ocorrer imprevistos! Por fim deu tudo certo.

O que quero dizer é que mesmo com todos critérios em algumas situações a gente corre o risco e torce para tudo dar certo.

Na maioria das vezes sempre dá. Mesmo que se tenha que fazer algumas alterações no percurso o importante é encontrar as soluções que melhor se adaptam.

Quarto-escritório exemplo da foto.Slide3

A proprietária queria transformar o quarto em escritório e queria opções para se ter poucas intervenções.

O armário estava em bom estado, foi determinante essa opção. Eu propus retirarmos duas portas e no espaço do cabideiro eu propus colocar mais prateleiras para virar uma estante.

As outras quatro portas foram revestidas com outro laminado. De forma proposital as cores foram alteradas e os puxadores foram trocados.

Na lateral desse ambiente foi criado uma mesa com duas lados, para dois usuários, com estante lateral de apoio.

O sofá teve seu forro trocado com uma padronagem que pudesse compor o novo ambiente em harmonia. O sofá também estava em bom estado. Sempre verifique o estado da estrutura e da a espuma, essa também pode ser substituída.

Esses tipos de intervenções são sustentáveis. O meio ambiente agradece.

Muitos mobiliários podem ser reaproveitados, repaginados. Muitos podem ser pintados, forrados até mesmo com material tipo contact com diversas estampas.

Pequenos objetos, abajures, almofadas, cabeceiras, espelhos, muita coisa pode ser reaproveitado.

A porta do armário que foi retirada tinha um espelho e foi feita uma borda com mosaico em toda volta. O espelho foi reutilizado com nova roupagem.

Vale a criatividade alinhada ao projeto e principalmente ao perfil do cliente.

Aproveitar sim, importante sempre é ver o estado se está bom, o que se pode fazer.

Pense nisso! É isso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s