No caso estou considerando para esse post reforma de banheiro, porem poderia ser de outro ambiente qualquer.

São muito casos onde o serviço de reforma é requisitado por uma emergência.

São casos como, por exemplo, um revestimento que se desprende e precisa ser refeito. Nesse caso a causa pode ser de muitos fatores. A solução será sempre analisada caso a caso. As vezes trocar todo o revestimento pode sair mais barato do que tentar recuperar um número grande de peças no cemitério de azulejos.

Quem é que nunca teve um problema de revestimento que se solta?

Ou aquele registro que começa a vazar e não tem mais o reparo? Tem que quebrar, abrir, trocar todo o conjunto. E depois como fica o azulejo que não encontra mais?

E quando abre a parede percebe que a tubulação antiga de ferro está toda comprometida.

Caso muito comum é quando ocorre um vazamento que não se tem vestígios de onde está e precisa quebrar todo o caminho para encontrar o problema.

Solucionar a dor de um vazamento pode implicar em uma verdadeira obra de reforma, como proporções de grande investimento, principalmente quando o vazamento implica em infiltração com o vizinho. Além do desgaste emocional de todos envolvidos, ocorre muitas vezes conflitos de interesses pessoais. É importante avalizar as causas e as responsabilidades de cada um envolvido.

São diversos casos de incidentes que acontecem e que na sequência viram uma obra de reforma.

Mas também tem o caso que a obra é programada, planejada e organizada.

Existe a situação em que a reforma é para solucionar o layout por necessidades específica do usuário, um banheiro que vira dois por exemplo porque a família cresceu, ou uma modificação para atender um cadeirante.

São muitos casos para solucionar um novo layout com conforto e praticidade para atender aos novos usos.

Tem pessoas que gostam sempre de estar atualizada dentro das tendências e a reforma vai solucionar o que precisa. Outros ainda nem se importam muito com isso mas depois de muitos anos o ambiente fica velho, feio e nessa hora entra a reforma programada para dar uma cara nova ao aspecto que está feio e desgastado.

Ok, nesse caso a familia está se programando para fazer uma reforma, se organizando financeiramente, o processo de reforma é sempre menos traumático.

Mesmo se organizando para a reforma, muitos não contratam um arquiteto. Nem projeto fazem.

É aquela velha história arquiteto é caro, “não preciso arquiteto” o pedreiro resolve. Embora a cultura da construção coloca o pedreiro executor como o resolvedor dos problemas, na prática não é bem assim que acontece.

O arquiteto é o profissional técnico capacitado para orientar, auxiliar, solucionar e resolver uma gama enorme de atividades e procedimentos multi disciplinares. O Executor deve apenas executar sendo orientado pelo arquiteto. Mesmo sabendo que muitos executores são bastantes experientes, somente o arquiteto pode ser o responsável técnico por um projeto ou obra.

É muito comum o pedreiro vender “pacote completo” dos serviços, iludindo o cliente com soluções práticas e preço acessível com vários serviços incluídos. O cliente desconhece as normas e se ilude na boa conversa do pedreiro, podendo por em risco sua própria segurança.

O “achar” o arquiteto é caro é muito subjetivo. Caro ou barato são referências vagas. O cliente que faz uma reforma precisa entender o real valor do profissional. O valor dos benefícios dos serviços de um arquiteto. O cliente deve entender os objetivos, o que se deseja com a reforma.

O arquiteto poderá proporcionar grandes benefícios no projeto e/ou na obra de reforma.

Entre muitos dos benefícios está a escolha correta dos materiais.

A indústria da construção civil vem investindo em soluções e materiais alternativos de fácil execução, para melhorar o mercado da construção civil.

Toda a inovação não exclui o profissional de arquitetura. É exatamente o oposto, o profissional é cada vez mais solicitado para poder orientar na correta execução mudando padrões previamente estabelecidos.

A primeira etapa para um serviço de reforma é uma pesquisa com o cliente entender seu perfil e suas necessidades. Com informações relevantes, até mesmo seu estilo de vida, gostos, costumes, hobbys, faz com que o projeto de reforma seja feito de forma assertiva.

Embora seja uma pratica bastante comum, porém errada, falha grave, não se deve começar uma obra sem os projetos definidos.

O projeto é o documento que traduz todo o contexto e informações precisas para a execução da obra, como tipo de materiais, quantidades, serviços relacionados.

O projeto pode ser sinônimo de economia, evitando os desperdícios praticados nas execuções informais onde são feitas as tentativas de erros e acertos, faz e refaz por não se ter um direcionamento de projeto.

O levantamento métrico feito criteriosamente é uma etapa bastante importante para o projeto. É a partir desse que são levantadas todas dimensões, pontos de agua e elétrica, e demais itens existentes e relevantes para o direcionamento do projeto.

O desenvolvimento do projeto passa por etapas como pesquisas de materiais mais adequados, pesquisa dos serviços, logística para a execução das etapas, execução dos desenhos propriamente ditos. Quanto maior o nível de detalhamento de um projeto mais desenhos/projetos são gerados, e assim menor é o erro na execução.

Mesmo não sendo uma obra que não necessite de aprovação pela prefeitura, o recolhimento da RRT é obrigatório definido pela norma de reforma NBR 16280. Isso garante a idoneidade legal do profissional.

É lei toda obra tem que ter um acompanhamento de um responsável técnico.

A nova norma contribui para a conscientização sobre a necessidade de contratar profissionais qualificados para a realização e acompanhamento de qualquer obra

O processo de execução propriamente dito da obra consiste em alguns itens/serviços para garantir o projeto proposto.

No acompanhamento da obra é feito conferência dos serviços e materiais se de acordo com projeto, principalmente se o projeto é de colega parceiro, logística dos serviços, estocagem, relatórios de andamento da obra e relatório fotográfico.

Nos relatórios onde são registrados o dia a dia do processo de obra, os serviços executados, quantidade de mão de obra, recebimento ou não de material, clima sol ou chuva, é possível identificar falha no processo da obra. Se algum serviço não foi feito no tempo previsto, atrasando toda a cadeia construtiva, é no relatório que será pesquisado e solicitado identificando possíveis causas e resguardando o profissional técnico de futuras intercorrências.

Tá! Para uma obra programada tudo parece ser bem mais fácil e aquela obra de emergência?

A obra de emergência também pode e deve ser organizada. Como assim? Faz-se os reparos iniciais emergentes e em seguida e quase concomitantemente faz todo o processo para se ter uma obra dentro da conformidade.

Mas todos falam que obra é só problemas! Justamente por não haver um planejamento, uma organização e na maioria das vezes nem um profissional responsável existe.

Sim ocorre problemas na execução! Temos mão de obra desqualificada, com vícios de construção, porem tendo tudo organizado, planejado certamente todo o processo da obra é sempre menos traumático.

Se desejar saber mais envie um email ligia.arquitetando@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s