Não é novidade eu falar que vivemos em um mundo colorido e precisamos das cores para despertar muitas sensações e até mesmo o bem estar.

As cores são importantes desde a tenra infância. Desde quando ainda é um pequenino bebê.

O bebê quando nasce não enxerga as cores. Aliás a visão é o órgão muito complexo do sentido que é responsável por muitas percepções.

O que ocorre é que a rede neural ainda não está totalmente formada. Esse desenvolvimento vai acontecendo etapa por etapa. Como acontece com as várias etapas de crescimento de um bebê que vai se desenvolvendo com o passar do tempo.

O bebê não passa só dormindo e comendo como muita gente se refere. O primeiro ano o bebê ocorre um grande desenvolvimento em muitos aspectos. Se é estimulado corretamente o progresso ainda é melhor.

As cores no desenvolvimento são muito importantes. O desenvolvimento ocular vai acontecendo gradualmente.

O bebê quando nasce não ver as cores. Somente uma nevoa embassada.

Com 3 meses o bebê consegue perceber o vermelho. E logicamente o que é estimulado é melhorado.

É diferente do daltônico que já nasce com uma deficiência nas células que fazem a leitura ocular de determinado espectro luminoso.

Com 4 meses tem a noção de profundidade, depois o foco, o controle e vai se desenvolvendo mês após mês. Com 9 ou 10 meses ele tem o reconhecimento facial.

As cores devem ser puras e intensas para estimular o desenvolvimento da percepção visual das cores. O vermelho, o verde, amarelo, laranja roxo e o azul.

Engana  se quem acha que cores suavezinhas são boas para os bebês. Em geral são desejos das mães gravidas quando vão fazer o quarto dos bebês.

Os quartos e espaços onde a criança fica precisa ser coloridos. Mesmo que não pinte um parede com cor é preciso ter objetos, quadros, tapetes brinquedos com cores puras no alcance da visão do pequeno.

É importante que o adulto também estimule o pequeno nomeando as peças e objetos para que a criança comece a fazer associações e conseguir identificar as cores. Da mesma forma contribui para desenvolver a falar ao ouvir o som com o nome das cores. Como por exemplo maçã vermelha, um brinquedo, patinho amarelo, enfim.

As cores têm seu papel na formação do desenvolvimento cognitivo e também na capacidade motora.

Conforme a criança vai crescendo, é importante que se estimule com outras cores, nuances. Quanto maiores os estímulos maiores serão os repertórios que ficam gravados em nossa memória.

Os cinco primeiros anos tem um peso importante no desenvolvimento, depois até os 9 anos. E por fim a adolescência. A visão só fica completamente desenvolvida depois dos 18 ou 20 anos, quando fica estabilizada. Depois na fase da maturidade para a velhice começa a decrescer no processo natural.

Se foi criado um grande repertório com as cores provável na velhice conseguir ainda por um bom tempo o reconhecimento de várias matizes. O processo natural é a perda da capacidade de perceber sutilezas de nuances da cor. Como também perda da acuidade.

É importante ter cores nos ambientes em todas as fases da vida. Quando criança e bebês terão fases especificas e funções diferentes do uso das cores. Em algumas fases terão algum personagem que representará alguma cor.

Quando adultos poderão experimentar de boas sensações e também funções com cores nos ambientes.

Sempre ambientes coloridos têm aspectos positivos, se a cor é usada corretamente. O mundo é muito melhor colorido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s